Ressaca do mar ameaça Praia do Abricó em Rio das Ostras

Obras realizadas a toque de caixa pelo ex-prefeito Carlos Afonso não impedem avanço do mar e desespera moradores

Quando o governante é relapso ou incompetente, a população sofre, Eis o caso do ex-prefeito de Rio das Ostras Carlo Afonso Fernandes que prometeu à  população “resolver o abastecimento de água no município (através do reservatório de Costa Azul), realizar a contenção da erosão da Praia do Abricó e reforçar o aparelho municipal de Saúde”. Nenhuma dessas promessas foi cumprida. Agora, pouco mais de um ano, a população sente os efeitos de algumas de suas desastrosas ações à frente da prefeitura.

Alheio ao que acontece na Praia do Abricó, Marcelino da Farmácia parece não se importar para a iminente destruição das casas. Por toda a cidade, a população reclama de abandono e de descaso de um governo desastroso

Um dos casos mais emblemáticos é a obra do muro de contenção da praia do Abricó, entre as ruas Elizeth Cardoso e Sergipe. O avanço do mar, sobretudo em períodos de ressaca, ameaça dezenas de casas na localidade. Ano passado, o então prefeito Carlos Afonso, que na ocasião ocupava mandato tampão até a eleição suplementar que colocou no poder Marcelino da Farmácia , atual prefeito, contratou sem licitação, “em caráter emergencial,” a empresa São Marcos Terraplanagem e Construção LTDA. O preço da obra que teria quer concluída em 120 dias custaria ao contribuinte riostrense R$ 5.022,228, 40 – cinco milhões, vinte e dois mil, duzentos e vinte e oito reais e quarenta centavos. Desse total cerca de R$ 2 milhões foram pagos por Carlos Afonso. O dinheiro foi gasto a toque de caixa, sem nenhuma preocupação com as consequências que estariam por vir.

Para desespero dos moradores a obra foi um fracasso. Nem as pedras colocadas na faixa de areia impedem atualmente que as ondas atinjam os muros das residências. O prefeito atual, Marcelino da Farmácia, alegou que uma série de irregularidades teria sido  constatada em fiscalizações e por isso não quitou o que deveria ser pago por Carlos Afonso. Porém nenhuma explicação é dada aos moradores que não sabem quando a obra será concluída; se há algum parecer da Defesa Civil ou qualquer outra providencia a ser tomada.

Enquanto nenhuma explicação é dada e o mar continua a avançar sobre as casas, moradores cobram soluções dos órgãos competentes como Tribunal de Contas e Ministério Público a fim de esclarecer se as tais irregularidades foram cometidas e os eventuais culpados, punidos.

Leia Também

Mar leva o dinheiro público em Rio das Ostras

Obra de R$ 5 milhões não resolveu o problema na Praia do Abricó Contratada emergencialmente …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *