Olhos saudáveis quando a temperatura cai

Com temperaturas mais baixas, o ar também tem pouca umidade, e assim é a oportunidade perfeita para as chamadas “doenças de inverno”, tais como as alergias e problemas nos olhos, entre eles, a conjuntivite e síndrome do olho seco.

É bom entender um pouco o que são as citadas doenças.

A conjuntivite é uma inflamação e pode ser causada por fatores irritativos, alérgicos e infecciosos. É mais frequente em pessoas que ficam em ambientes fechados e também é frequentemente diagnosticada em indivíduos gripados, devido à baixa imunidade. Os sintomas são vermelhidão, coceira e aumento da secreção.
A síndrome do olho seco está relacionada à exposição a fatores como poeira, poluição, ar seco e fumaça, entre outros. É caracterizada, principalmente, pela perda ou diminuição da função das glândulas lacrimais. Desta forma, com a baixa lubrificação, há uma sensação de areia nos olhos.
Já as alergias oculares são causadas pela exposição do indivíduo a alguma substância ou composto alergênico. Manifestam-se com frequência em pacientes com algum tipo de alergia, como bronquite alérgica, rinite, asma, entre outras. Os sintomas também são vermelhidão e coceira.
Os especialistas ressaltam ainda que essas doenças não são exclusivas da estação, porém, aparecem com mais frequência nessa época do ano.

Na correria do dia a dia, muitas vezes quando aparece coceira e vermelhidão nos olhos, tais sintomas são negligenciados, mas deveriam ser levados em conta porque a demora no tratamento pode levar a complicações e agravamento da doença.

É importante que ao menor sinal desses sintomas, a pessoa consulte um oftalmologista, a fim de obter um diagnóstico preciso. Se não tratadas corretamente, essas doenças podem causar, em casos extremos, sérios danos, como úlceras de córnea e ceratite bacteriana, podendo levar até a perda da visão.

A prevenção também nesse caso é o melhor remédio. Manter hábitos de higiene sempre, procurando ter as mãos sempre limpas. Evitar a poeira, manter a casa arejada e fugir de ambiente fechados e aglomerados. Mesmo com o sol fraco, usar óculos de sol, já que eles protegem os olhos dos raios ultravioletas. E já que se está falando em óculos, estes devem ser sempre higienizados.
Não se automedicar com qualquer tipo de remédio ou colírio também é essencial para um diagnóstico preciso, caso o indivíduo apresente alguma dessas complicações causadas pela chegada do inverno.

 

Com temperaturas mais baixas, o ar também tem pouca umidade, e assim é a oportunidade perfeita para as chamadas “doenças de inverno”, tais como as alergias e problemas nos olhos, entre eles, a conjuntivite e síndrome do olho seco.

É bom entender um pouco o que são as citadas doenças.

A conjuntivite é uma inflamação e pode ser causada por fatores irritativos, alérgicos e infecciosos. É mais frequente em pessoas que ficam em ambientes fechados e também é frequentemente diagnosticada em indivíduos gripados, devido à baixa imunidade. Os sintomas são vermelhidão, coceira e aumento da secreção.
A síndrome do olho seco está relacionada à exposição a fatores como poeira, poluição, ar seco e fumaça, entre outros. É caracterizada, principalmente, pela perda ou diminuição da função das glândulas lacrimais. Desta forma, com a baixa lubrificação, há uma sensação de areia nos olhos.
Já as alergias oculares são causadas pela exposição do indivíduo a alguma substância ou composto alergênico. Manifestam-se com frequência em pacientes com algum tipo de alergia, como bronquite alérgica, rinite, asma, entre outras. Os sintomas também são vermelhidão e coceira.
Os especialistas ressaltam ainda que essas doenças não são exclusivas da estação, porém, aparecem com mais frequência nessa época do ano.

Na correria do dia a dia, muitas vezes quando aparece coceira e vermelhidão nos olhos, tais sintomas são negligenciados, mas deveriam ser levados em conta porque a demora no tratamento pode levar a complicações e agravamento da doença.

É importante que ao menor sinal desses sintomas, a pessoa consulte um oftalmologista, a fim de obter um diagnóstico preciso. Se não tratadas corretamente, essas doenças podem causar, em casos extremos, sérios danos, como úlceras de córnea e ceratite bacteriana, podendo levar até a perda da visão.

A prevenção também nesse caso é o melhor remédio. Manter hábitos de higiene sempre, procurando ter as mãos sempre limpas. Evitar a poeira, manter a casa arejada e fugir de ambiente fechados e aglomerados. Mesmo com o sol fraco, usar óculos de sol, já que eles protegem os olhos dos raios ultravioletas. E já que se está falando em óculos, estes devem ser sempre higienizados.
Não se automedicar com qualquer tipo de remédio ou colírio também é essencial para um diagnóstico preciso, caso o indivíduo apresente alguma dessas complicações causadas pela chegada do inverno.

Leia Também

As tranças continuam na moda!

Os fios trançados dão um toque especial ao visual As tranças estão de volta e …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *