O café faz bem à saúde!

O café é uma unanimidade nacional, mas ainda assim há quem pense que o café é um vilão. Será mesmo?

O café faz parte da cultura brasileira e, sem dúvida, é das maiores fontes de divisas do país.

Justamente por ser assim, tão popular, a quantidade de café que cada um pode ingerir no dia a dia, sempre foi motivo de contradições, até que os estudiosos resolveram se debruçar sobre a questão e o resultado foi descobertas surpreendentes, as quais desmentem muitos dos mitos criados em torno da bebida mais apreciada pelos brasileiros; consumido com moderação, o café é saudável para o ser humano.

É praticamente consenso pelas pesquisas já desenvolvidas que o café tem ação estimulante sobre o sistema nervoso e, em doses moderadas – três a quatro xícaras por dia – aumenta a atenção, a concentração e a memória de curto e médio prazo, sendo inclusive recomendado para estudantes de todas as idades. Estudos mostram também que o café pode atuar na prevenção do câncer de cólon e reto, doença de Parkinson e de Alzheimer, apatia e depressão, obesidade infantil, diabetes tipo II, cálculos biliares e câncer de fígado. Também aumenta o estado de vigília do cérebro e diminui a sonolência.

Estudos desenvolvidos na Universidade Federal do Rio de Janeiro mostraram que o café tem capacidade antioxidante que está relacionado com a sua composição, ou seja, o café é rico em compostos fenólicos, os ácidos clorogênicos.

O café é uma das maiores fontes destes compostos na natureza, principalmente quando torrado ao ponto de torra média. Os antioxidantes podem atuar complexando-se a espécies reativas, sequestrando radicais livres e interrompendo suas reações em cadeia, prevenindo assim, danos ao DNA das células. Eles também podem ajudar a prevenir o estabelecimento de algumas doenças degenerativas.

Além das propriedades citadas acima, que também atuam na prevenção do câncer, os ácidos clorogênicos são capazes de modificar vias metabólicas de compostos cancerígenos, inativando-os. No coração, a bebida pode diminuir a incidência de doenças coronarianas e alguns tipos de infarto. Os ácidos clorogênicos se ligam a moléculas de gordura impedindo que se formem placas nas paredes das células.

Vários outros efeitos foram atribuídos aos compostos fenólicos do café, entre eles os efeitos hipoglicemiante (atua na prevenção e como coadjuvante no tratamento do diabetes), digestivo e hepatoprotetor (inclusive na prevenção da cirrose e câncer de fígado). Alguns potenciais efeitos destes compostos que estão também sendo estudados são: imunoestimulante, antiviral, antiobesidade, hipotensivo, antibacteriano, inclusive em relação às bactérias causadoras da cárie.

Os estudos sobre o assunto continuam. O que os cientistas querem saber os efeitos do café na pressão arterial e no coração de pacientes que já têm doenças coronárias. O que se tem observado é que o café não traz nenhum mal. Somente o café com torra mais clara ou média, parece aumentar um pouco a pressão arterial, mas o café de torra mais escura que costumamos tomar não interfere na pressão.

No entanto, é preciso alertar que, apesar dos benefícios do café à saúde, o café não é remédio e o ideal é consumir de três a quatro xícaras por dia, para as pessoas que não tenham nenhuma restrição médica à bebida, sendo que quem se sente mal ao ingerir café ou sofre de insônia deve evitar o seu consumo.

Leia Também

Os ingredientes naturais á favor da beleza

A indústria dos cosméticos continua em franco desenvolvimento e não faltam novidades no mercado, no …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *