Justiça cassa prefeita de Silva Jardim e três vereadores, mas eles ainda podem recorrer, no cargo, à instâncias superiores

A prefeita de Silva Jardim, Maria Dalva Silva do Nascimento (foto) teve o diploma de vice-prefeita cassado pela Justiça o que a tira do mandato dela se a decisão for confirmada em instâncias superes. A decisão foi tomada pela juíza da 107ª Zona Eleitoral, Daniella Correia da Silva, no processo Processo nº 1-60.2017.6.19.0063, uma Ação de Investigação Judicial Eleitoral proposta pelo Ministério Público. A medida afeta ainda os vereadores Adão Firmino de Souza, Roni Luiz Pereira da Silva e Jazimiel Batista Pimentel. Também são réus no processo o ex-prefeito Wanderson Gimenes Alexandre, o Anderson Alexandre, recém-eleito deputado estadual e o ex-vereador Flávio Brito, sentenciados a oito anos de inelegibilidade, prazo que começa a contar das eleições de 2016. Em relação a prefeita e aos dois vereadores foi aplicada ainda a pena de inelegibilidade.

Vice na chapa do prefeito reeleito Wanderson Gimenes Alexandre, o Anderson Alexandre, Maria Dalva assumiu a Prefeitura em abril deste ano, com a renúncia de Anderson, que deixou o cargo para disputar uma cadeira na Assembleia Legislativa.

Os seis citados na ação foram denunciados pelo Ministério Público por pela prática de abuso de poder econômico e político. “… julgo procedente o pedido para declarar inelegibilidade dos investigados Wanderson Alexandre, Maria Dalva Silva Nascimento, Roni Luiz Pereira da Silva, Jazmiel Batista Pimentel, Adão Firmino de Souza e Flavio Eduardo da Costa Brito, para as eleições a se realizarem nos oito anos subsequentes à eleição de 2016 e para determinar a cassação do diploma de Maria Dalva Silva Nascimento, Roni Luiz Pereira da Silva, Jazmiel Batista Pimentel e Adão Firmino de Souza”, escreveu a magistrada em seu despacho, aplicando ainda uma multa de R$ 53.205,00 por captação ilegal de votos.

Leia Também

Escândalo abala as estruturas do governo em Casimiro de Abreu

Ação desastrosa do “Homem da Mala” do prefeito pode acabar em perda de mandatos Raramente encontrado …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *