DER anunciou retirada de radares na Rodovia Amaral Peixoto

O Departamento de Estradas e Rodagem do estado do Rio (DER-RJ) começará a desligar 16 radares de velocidade instalados na Rodovia Amaral Peixoto, entre São Gonçalo e a Região dos Lagos. A medida obedece à lei estadual 7.580/17,  do deputado Diogo Lins (PP), que determina a retirada desses equipamentos em áreas de risco em rodovias estaduais. O anúncio foi feito após cobrança de comissões da Assembleia Legislativa do Estado do Rio (Alerj).

Autor da lei e presidente da Comissão de Transportes da Alerj, o deputado Dionísio Lins afirmou que vai acompanhar o desligamento dos radares anunciados e cobrar a extensão da medida a outras rodovias. “Não queremos incentivar o desrespeito às leis de trânsito como o excesso de velocidade e o avanço de sinal, mas sim colaborar para reduzir o número de vítimas inocentes que acabam tendo que escolher entre ser roubado ou avançar o pardal e ser multado”, disse o deputado.

Vice-presidente da Comissão de Turismo e moradora da cidade de Maricá, que tem seu principal acesso pela rodovia Amaral Peixoto, a deputada Zeidan Lula (PT) também comemorou a decisão e afirmou que vai continuar cobrando. “É um primeiro passo, mas apresentamos também outras sugestões, como no caminho para Maricá elevar a velocidade acima de 60 km e retirar todos os radares de 50 km que foram instalados esse ano. Queremos acabar com a insegurança para a população e prejuízo para o turismo, atividade que gera tantos empregos na nossa região”, destacou Zeidan.

Os 16 radares que serão desligados nas duas rodovias foram definidos com base em informações passadas pelo Batalhão de Polícia Rodoviária (BPRv) da Polícia Militar a pedido da Alerj. Presidente do DER, Uruan Cintra de Andrade afirmou que os radares não serão apenas desligados, mas retirados das rodovias, e que outras estradas estaduais passarão por análise semelhante com base em dados sobre a violência.

Em vigor desde maio de 2017, a Lei Estadual 7.580 proibiu a instalação de novos radares em áreas de risco mapeadas e conhecidas por terem grandes índices de assaltos ou confrontos armados.

Leia Também

CPI do Hospital da Mulher aprova relatório final

Documento tem 138 recomendações e 11 projetos de lei Onze projetos de lei, entre eles …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *